Concurso Senado Federal: Banca em definição

Concurso Senado Federal irá ofertar 40 vagas imediatas

A banca organizadora do próximo concurso do Senado Federal deverá ser escolhida em breve. Isso por que um aviso de chamamento público foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (18) convocando as bancas interessadas em organizar o concurso.

De acordo com o documento, as empresas tem um prazo de oito dias úteis para enviarem as suas propostas.

Confira abaixo o documento publicado no DOU:

AVISO DE CHAMAMENTO PÚBLICO

O PRESIDENTE DA COMISSÃO EXAMINADORA designada pela Portaria do Presidente do Senado Federal nº 20/2019, em conformidade com o Ato da Comissão Diretora do Senado Federal nº 2/2019, Processo nº 00200.016726/2019-26, convida as instituições interessadas em operacionalizar o concurso público para o provimento de cargos efetivos do Senado Federal a enviar proposta técnica para seleção e contratação da organizadora do certame, no prazo de 8 (oito) dias úteis contados da presente publicação, observados os termos do projeto básico simplificado, o qual será disponibilizado aos representantes legais das proponentes mediante a apresentação do instrumento de outorga de poderes, com firma reconhecida em cartório ou mediante o uso de certificado digital ICP-Brasil, e da assinatura do termo de confidencialidade.

As propostas e a documentação pertinente serão recebidas por meio eletrônico, no e-mail [email protected], ou presencialmente, no horário comercial, mediante prévio agendamento, no seguinte endereço: SENADO FEDERAL – Presidente da Comissão Examinadora do Concurso Público – Praça dos Três Poderes – Bloco 2 (Ed. Senador Ronaldo Cunha Lima) – 1º Andar – Brasília/DF – CEP 70165-900.

ROBERCI RIBEIRO DE ARAÚJO

 

Concurso Senado 2020

O novo concurso do Senado Federal (Concurso Senado) para provimento de 40 vagas imediatas de nível médio (policial legislativo) e superior (analista), além da formação de cadastro de reserva.

Remuneração

De acordo com o portal do Senado, as remunerações iniciais são de R$ 19.573,46 para técnico legislativo (nível médio), R$ 33.003,05 para advogado (nível superior em Direito) e R$ 25.764,85 para analista legislativo (nível superior em áreas específicas).

Os valores incluem as gratificações e R$ 982,28 de auxílio-alimentação.

Os servidores ainda têm direito a R$ 147,83 de auxílio-transporte, R$ 676 de assistência médica e odontológica, R$ 831,95 de assistência pré-escolar, exames periódicos, além de capacitações.

Senado oferece conteúdo gratuito

A Secretaria de Transparência (STrans), juntamente com a Comissão Organizadora do certame, disponibilizou aos concurseiros um site com conteúdos para o certame.

Dessa forma, os interessados já podem iniciar seus estudos mesmo sem a publicação do edital do concurso público.

De acordo com o assessor técnico da STrans, Thiago Cortez Costa, esses materiais foram agregados com a intenção de ajudar pessoas de diversas classes sociais, pois muitos não podem ter acesso a cursinhos preparatórios.

Além disso, os conteúdos já estavam presentes no acervo da Casa. Dessa forma, não houveram custos adicionais.

Outro benefício oferecido pelo portal, é a acessibilidade.

Segundo o Senado, um aplicativo pode traduzir os conteúdos do portal para a Linguagem Brasileira de Sinais (Libras).

Ainda mais, tem recurso de áudio e coloração para deficientes visuais.

Os candidatos com dislexia também serão beneficiados, pois as fontes poderão ser alteradas.

No site é possível encontrar, além de documentos oficiais, há material didático para estudo como livros para download gratuito, vídeo-aulas e cursos abertos à sociedade.

O conteúdo disponibilizado é apenas um referencial para estudo.

Cabe ao candidato selecionar o material que considere mais adequado para sua preparação, visto que o site não determina o conteúdo das provas.

 Nota da Comissão Examinadora acerca do concurso público do Senado

A Comissão Examinadora tem empreendido esforços para concluir a instrução do processo de contratação da instituição especializada que executará as etapas de exames e avaliação do concurso público.

A demora no lançamento do edital de abertura deve-se a vários fatores.

O concurso realizado pelo Senado em 2012 reproduziu praticamente a íntegra do edital do certame de 2008. E provavelmente a instrução de 2008 deve ter tomado como base documentos de concursos anteriores.

A comissão se deparou, então, com a necessidade de promover uma série de ajustes nos modelos até então adotados para adequá-los à legislação vigente.

Além de atualizarmos o conteúdo programático com as inovações legislativas, desde o último concurso tivemos o advento de leis e reiteradas decisões judiciais acerca de regras de acessibilidade e de inclusão social, como o Estatuto da Pessoa com Deficiência (Lei 13.146/2015) e a Lei que reserva aos negros 20% das vagas oferecidas nos concursos (Lei 12.990/2014).

Tanto o projeto básico como o edital de abertura precisam contemplar regras claras e objetivas que assegurem a implementação dessas políticas públicas de cotas. O concurso deve ser o mais inclusivo e participativo possível, assegurando um conjunto de tecnologias assistivas para os candidatos que demandem atendimento especial. No caso das cotas para negros, devemos ter um procedimento de heteroidentificação para averiguar a veracidade da autodeterminação do candidato. Trata-se de um importante mecanismo de controle e combate à fraude na reserva de vagas.

No início do mês de dezembro realizamos uma audiência pública que contou com a participação de inúmeras instituições especializadas interessadas em operacionalizar o concurso do Senado. Os representantes das organizadoras, a partir da experiência advinda da realização de outros certames, apresentaram várias sugestões e disponibilizaram farto material impresso com informações relevantes. Foi preciso, então, depurar o material apresentado para identificar os dados e os aspectos que poderíamos adotar para o aprimoramento do processo em curso.

De maneira inovadora, adotamos o rito de submeter os critérios de recrutamento e seleção dos candidatos às secretarias da Casa que serão responsáveis pela acolhida e lotação dos futuros servidores. Afinal de contas, os parâmetros de avaliação de desempenho e o conteúdo programático mínimo das provas devem ser definidos a partir da análise dos requisitos básicos à investidura no cargo e do perfil profissional desejado para o bom desempenho das competências e atribuições do cargo. Diante das manifestações das secretarias e unidades consultadas, estamos reformulando o conteúdo programático, priorizando as matérias mais recorrentes na atuação profissional e realizando o balanceamento das questões em razão das disciplinas de maior relevância.

Diante da grande expectativa dos candidatos com a data de lançamento do edital de abertura, podemos assegurar que estamos trabalhando intensamente para a sua publicação o mais breve possível.

Fonte: Agência Senado

Escolha da Banca organizadora

Em audiência pública, ocorrida em dezembro de 2019, os membros da comissão organizadora do concurso, disseram ter expectativa de que o certame tenha, pelo menos, 100 mil candidatos inscritos.

A Comissão Examinadora vai se concentrar daqui por diante na elaboração do projeto-base do certame. “Diante da proporção do certame que iremos realizar, pretendemos entrar em contato com diversas instituições, inclusive aquelas que não estiveram presentes à audiência. Teremos que nos certificar que a instituição tenha capacidade operacional de executar um projeto que envolva dezenas de milhares de pessoas,” informou Roberci Ribeiro, presidente da comissão que organiza o concurso.

Entre os fatores que são avaliados para estimativa de candidatos está a redução recente na quantidade de concursos públicos abertos pelo Poder Executivo.

Outro item analisado é a atração oferecida pelo concurso do Senado em si, incluindo salários, estabilidade no cargo e as possibilidades de carreira.

O presidente da Comissão Examinadora argumentou que a expectativa de grande procura praticamente elimina a possibilidade de que todo o concurso seja realizado apenas em Brasília.

Assim, a exemplo dos certames de 2008 e 2011, a possibilidade maior é de que a prova, ou pelo menos a primeira fase objetiva, seja aplicada em todas as capitais brasileiras.

A audiência foi marcada também para iniciar a escolha da banca organizadora. Estiveram presentes representantes de nove bancas: Fundação Getúlio Vargas; Fundação Cesgranrio; Instituto Acess; Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC); Cebraspe; AOCP; Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades); Idecan; IAP.

Os convidados elogiaram a iniciativa de realizar a audiência pública pela transparência e credibilidade que confere ao certame.

As instituições participaram dando sugestões sobre os trâmites do concurso. Cada uma, por exemplo, relatou seus modelos de segurança na aplicação das provas.

O objetivo da Casa, nesse momento, foi realizar uma consulta de mercado e debater tópicos relevantes à seleção.

No encontro, o representante do Iades disse que a prefere provas e redações em turnos separados.

Já o Idecan opta em separar avaliações objetivas e discursivas por dia, caso a etapa seja aplicada em todas as capitais.

A FGV se mostrou contrária à realização da discursiva para nível médio. A Fundação tem preferência em aplicar os exames em dois fins de semana.

O Senado informou que, para elaborar o projeto básico do concurso, a comissão já iniciou os trabalhos de pesquisa, com a análise dos editais mais recentes realizados pelo órgão.

Concurso Senado Federal: Banca em definição
Concurso Senado Federal: Banca em definição

Os membros ainda coletam dados de processos seletivos de outras e entidades da Administração Pública.

O Concurso do Senado Federal terá 40 vagas para níveis médio e superior

Veja abaixo a Autorização:

ATO Nº 2, DE 2 DE OUTUBRO DE 2019

Autoriza a realização de Concurso Público para preenchimento de cargos do Quadro de Pessoal do Senado Federal e formação de cadastro de reserva.

A COMISSÃO DIRETORA DO SENADO FEDERAL, no uso das competências previstas no inciso I do art. 98 do Regimento Interno e no art. 191 do Regulamento Administrativo, consolidado pela Resolução do Senado Federal nº 13, de 2018,

CONSIDERANDO a atribuição constitucional para dispor sobre sua organização e funcionamento, visando assegurar o pleno exercício do princípio basilar da independência e harmonia entre os poderes da República;

CONSIDERANDO a imperativa necessidade de preenchimento de cargos vagos e os riscos físicos e institucionais inerentes à atividade de polícia legislativa;

CONSIDERANDO a perspectiva de redução no quadro de servidores ativos pela aquisição do direito de requerer aposentadoria;

CONSIDERANDO o imperativo de continuidade do serviço público, o atendimento aos princípios constitucionais da observância do concurso público, da moralidade, e da impessoalidade, bem como a existência de prévia dotação orçamentária, resolve:

Art. 1º Fica autorizada a realização de Concurso Público para o provimento de 40 (quarenta) cargos efetivos vagos do Quadro de Pessoal do Senado Federal e a formação de cadastro de reserva, assim distribuídos:

I – Técnico Legislativo, Nível II, padrão 21, na especialidade Policial Legislativo, com requisito de escolaridade de nível médio: 24 (vinte e quatro) vagas;

II – Advogado, Nível III, padrão 41, na especialidade Advocacia, com requisito de escolaridade de nível superior: 4 (quatro) vagas;

III – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Administração, com requisito de escolaridade de nível superior: 2 (duas) vagas;

IV – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Arquivologia, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

V – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Assistência Social, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

VI – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Contabilidade, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

VII – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Enfermagem, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

VIII – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Informática Legislativa, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

IX – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Processo Legislativo, com requisito de escolaridade de nível superior: 2 (duas) vagas;

X – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Registro e Redação Parlamentar, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

XI – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Engenharia do Trabalho, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga;

XII – Analista Legislativo, Nível III, padrão 36, na especialidade Engenharia Eletrônica e Telecomunicações, com requisito de escolaridade de nível superior: 1 (uma) vaga.

Art. 2º O Presidente do Senado Federal designará a Comissão Examinadora do concurso público, aprovará as respectivas instruções e homologará a classificação dos candidatos, referidos no art. 12 do Regulamento Administrativo do Senado Federal.

Art. 3º Na hipótese de surgimento de vaga no Quadro de Pessoal do Senado Federal, fica autorizada a convocação de candidatos aprovados no concurso público de que trata o art. 1º, durante seu prazo de validade, atendendo rigorosamente à:

I – ordem de classificação advinda do concurso;

II – existência de dotação orçamentária;

III – conveniência administrativa.

Art. 4 º Este Ato entra em vigor na data de sua publicação.

SENADOR DAVI ALCOLUMBRE
Presidente da Comissão

SENADOR ANTÔNIO ANASTASIA
1º Vice-Presidente

SENADOR SÉRGIO PETECÃO
1º Secretário

SENADOR EDUARDO GOMES
2º Secretário

SENADOR FLÁVIO BOLSONARO
3º Secretário

SENADOR LUIS CARLOS HEINZE
4º Secretário

SENADOR WEVERTON
2º Suplente de Secretário

SENADOR JAQUES WAGNER
3º Suplente de Secretário

Último concurso

O último concurso para o Senado Federal foi realizado pela Fundação Getúlio Vargas em 2011, foram 4 editais com vagas para os cargos de Policial Legislativo (25 vagas), Técnico (79 vagas), Analista (133 vagas) e Consultor (9 vagas), respectivamente.

Para todos os editais, a primeira etapa do concurso (prova objetiva) foi aplicada em 11 de março de 2012, 80 dias após a abertura do concurso.

Os candidatos classificados na primeira fase enfrentaram, ainda, outras etapas conforme o cargo, tais como prova discursiva, prova prática (taquigrafia), prova de aptidão física, avaliação psicológica, investigação social documental, curso de formação e avaliação de títulos.

Com informações metropoles.com | folhadirigida.com.br

Quer estudar para o Concurso Senado Federal?

Gostou desta oportunidade e deseja começar se preparar agora mesmo? Então, confira os nossos cursos e comece a estudar para o Concurso do Senado Federal:

CURSOS CONCURSO SENADO FEDERAL

Fique por dentro de todos os concursos

CONCURSOS ABERTOS

CONCURSOS 2020


Comentários


CONCURSOS 2020: clique aqui e confira as oportunidades para este ano!
CONCURSOS ABERTOS: veja aqui os editais publicados e garanta a sua vaga!
CONCURSOS DF 2020: principais concursos previstos para o DF em 2020!