Concurso Público: Como se dar bem na prova

Confira uma seleção de dicas muito úteis sobre como se dar bem em concursos públicos!

Para começar é muito importante conhecer bem a banca, somente técnicas de estudo, gestão de tempo, cronograma de estudos, técnicas de memorização e etc, não são suficientes para passar em um concurso público.

É preciso estar preparado para cada uma das bancas, pois cada uma delas cobra o conteúdo de formas diferentes. Também é preciso ter uma estratégia para saber interpretar corretamente as questões na hora da prova. E isso se aprende fazendo exercícios, simulados da banca para a qual irá realizar a prova.

Por exemplo, o Cespe é uma banca que tem em suas provas questões bem elaboradas e difíceis, tornando-se uma das bancas mais temidas (e amadas) entre os concurseiros e professores. Suas questões cobram entendimento da matéria, interpretação e não somente decoreba. Portanto é preciso controlar a ansiedade para que um enunciado mal interpretado não possa levá-lo ao erro da questão.

É preciso unir técnicas de aprendizagem com o conhecimento da banca (exercícios/simulados).

Apresentamos abaixo algumas dicas para você ser dar bem em todas as bancas: Cespe, Universa, Iades, FGV, ESAF, IBFC, Quadrix e etc.

QUAIS OS TIPOS DE PROVA?

CESPE

Na grande maioria dos casos as provas do Cespe têm 120 questões (é assim no INSS) onde o candidato poderá julgar cada item em CERTO ou ERRADO.

Exemplo do edital INSS: a nota em cada item das provas objetivas, feita com base nas marcações da folha de respostas, será igual a: 1,00 ponto (positivo), caso a resposta do candidato esteja em concordância com o gabarito oficial definitivo das provas; 1,00 ponto negativo, caso a resposta do candidato esteja em discordância com o gabarito oficial definitivo das provas; 0,00, caso não haja marcação ou haja marcação dupla (C e E).

Ou seja, para cada erro o candidato será penalizado em um acerto.

Isso é uma atitude clara da banca para diminuir a chance de acertos ao acaso (chute).

O procedimento é justificável em um processo que visa selecionar o candidato com melhor capacidade de analisar, interpretar e responder a partir do que aprendeu, descartando o “chute”.

UNIVERSA

A Universa merece um destaque aqui pois no ano passado (2015) foi responsável pelos concursos da Polícia Civil do DF, SECRIANÇA/DF e para o cargo de Agente de Atividades Penitenciárias (AGEPEN/DF).

E em todos esses concursos ela utilizou a regra da proporcionalidade dos pontos imposta pela Lei dos Concursos – 4.949/2012.

A Lei diz em seu artigo 59: “A anulação de questão objetiva implica ajuste proporcional ao sistema de pontuação previsto no edital do concurso público.”

COMO FUNCIONA?

Exemplo: em uma prova de 60 questões (SECRIANÇA/DF):

  • conhecimentos gerais: 20 questões;
  • conhecimentos específicos: 40 questões.

O ajuste proporcional é feito da seguinte forma:

  • Conhecimentos gerais: o valor de cada questão será igual a: 20 / (20 – n) ponto, em que (n) representa o número de questões anuladas;
  • Conhecimentos específicos: o valor de cada questão será igual a: 40 / (40 – n) ponto, em que (n) representa o número de questões anuladas.

Caso tenhamos 1 questão anulada em cada conhecimento, temos:

  • Conhecimentos gerais: 20 / (20 – 1) >> 20/19 = 1,05263157894737 (valor de cada questão)
  • Conhecimentos específicos: 40 / (40 – 1) >> 40 / 39 = 1,02564102564103 (valor de cada questão)

Depois basta multiplicar o valor de cada questão pelos acertos.

DEMAIS BANCAS

As demais bancas usam o modelo padrão e tradicional: número de questões + peso de cada questão, sendo assim, basta multiplicar os acertos pelo seu respectivo peso.

A Cesgranrio usa esse modelo no concurso do IBGE 2016.

PORQUE DEVO LER O EDITAL?

Parece óbvio mas, muitos candidatos esquecem que ler o edital, é o ponto de partida, muitos inclusive se matriculam em cursos (on-line ou presencial) sem o conhecimento do conteúdo cobrado no edital. Em alguns casos a banca retifica o edital deixando de cobrar determinado conteúdo e o candidato desavisado estuda algo que não será cobrado mais. Ou pior, não estuda o que irá cair, no caso da banca acrescentar conteúdo.

E lá no edital é encontrado a informação se a prova será de múltipla escolha ou Certo e Errado, número de questões, data da prova e etc.

Exemplo: o concurso para o cargo de Delegado da PCDF, organizado pela Universa, informou em seu edital de abertura que seriam 200 itens, compostos de alternativas onde o candidato poderia julgá-las em Certo e Errado, cada questão valia 1 ponto e para cada 2 erros seria descontado 1 acerto. Em sua retificação número 3 cada questão passaria a valer 0,5 ponto, foi mantido: para cada 2 erros seria descontado 1 acerto. Na retificação número 5 a prova passaria a ter 100 questões de múltipla escolha com 5 alternativas, cada questão valendo 1 ponto. Sem contar que ao longo da retificações, foram incluídos conteúdos que seriam cobrados na prova.

O candidato que acompanhou esse trâmite teve que mudar sua estratégia de estudo ao longo de sua preparação.

POR ONDE COMEÇAR A PROVA?

Aqui não existe um fórmula de sucesso, há alguns que defendem que a prova deve ser feita na ordem em que foi entregue e outros que defendem que você deve começar a fazer a prova pelas matérias que tenha mais confiança, questões que sejam mais fáceis e etc.

Somente uma coisa é certa, você não precisa fazer a prova na ordem em que ela foi entregue a você. E somente você pode entender qual técnica se adapta melhor.

Por isso aqui a recomendação é que faça uma primeira leitura da prova, assim identificará quais questões tem mais facilidade e quais tem mais dificuldade.

Depois disso poderá decidir por quais questões começará a fazer a prova.

ATENÇÃO NA HORA DE FAZER AS MARCAÇÕES NO CARTÃO RESPOSTA!

Não é aconselhável fazer a marcação direta no cartão resposta, numa primeira leitura da prova vá destacando as questões que não sabe ou as que está com dúvida.

Depois releia toda a prova com mais atenção e só se tiver a certeza absoluta marque no caderno de questões. Assim você irá definir uma ordem de resolução da prova que faça lógica na sua cabeça.

Aqui entra a interpretação, numa primeira leitura você pode achar que sabe a resposta da questão mas, ainda não tem certeza, aí com a releitura é possível que perceba algo que ainda não tinha visto, podendo assim aumentar suas chances de acertar a questão.

Saiba que você dificilmente irá saber todas as respostas que cairão na prova, é humanamente impossível memorizar todo o conteúdo cobrado pela banca. Na hora da prova você não irá conseguir encontrar todas as respostas e a dúvida entre uma opção e outra é inevitável. E chutar só por chutar é um grande erro.

Reserve entre 30 e 40 minutos para que faça uma revisão final e só depois faça as marcações no caderno de respostas.

EXERCÍCIOS DEVEM FAZER PARTE DO SEU PLANO DE ESTUDO!

Durante seu período de estudos faça exercícios da banca. É muito importante saber interpretar as questões. Só assim, unindo aos seus estudos resolução de questões você aprenderá a resolver/interpretar as questões na hora da prova.

Aproveite ao máximo seu tempo de estudos com exercícios e aproveite para identificar seus pontos fortes e fracos. Depois de um tempo você aprenderá a interpretar as questões e isso vai fazer que você acerte mais questões e acertando mais questões faz com que você ganhe mais confiança e possa ter um resultado melhor na prova.

DEVO ESTAR PREPARADO?

Independente da banca, fazer uma prova faz com que você tenha um desgaste físico e psicológico muito grande, por isso durante a preparação faça simulados com o número de questões que cairão na prova, simulando inclusive o tempo de prova.

Lembre-se que são nomeados os candidatos mais preparados, tanto intelectual quanto psicologicamente/emocional. E estar seguro na hora da prova pode fazer toda a diferença.

A intenção deste conteúdo é ajudá-lo para que estude de forma mais produtiva. Parece óbvio, mas se preparar de forma eficiente faz toda a diferença. E as vezes o que falta é direcionar os estudos. Aqui a nossa intenção é te dar um direcionamento para que atinja seu objetivo, passar no concurso.

Você pode encontrar na internet muitas técnicas de chute, mas não se engane sem preparação, sem resolver questões, sem dedicação será tão difícil para você passar em um concurso quanto ganhar na loteria.

Compartilhe esse artigo com seus amigos, com certeza esse conteúdo irá ajudá-los.


Comentários


CONCURSOS 2020: clique aqui e confira as oportunidades para este ano!
CONCURSOS ABERTOS: veja aqui os editais publicados e garanta a sua vaga!
CONCURSOS DF 2020: principais concursos previstos para o DF em 2020!