CLDF realizou nesta segunda (12) audiência para discutir nomeação de aprovados em concursos públicos

403

A Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) realizou na manhã desta segunda-feira, 12 de junho de 2017, uma audiência pública para debater a nomeação de aprovados em concursos públicos das secretarias de Saúde e da de Políticas para a Criança, Adolescente e Juventude, realizados em 2014. Representantes do GDF e de aprovados em concursos públicos e sindicalistas de várias categorias cobraram do GDF a imediata nomeação dos aprovados e relataram a falta de profissionais em vários setores.

A audiência foi uma iniciativa do deputado Wasny de Roure (PT), que destacou em seu pronunciamento que a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) prevê um tratamento diferenciado para as contratações nas áreas de saúde, educação e segurança. Segundo ele, a reposição dos cargos vagos é assegurada.

Mas na prática não é o que vem acontecendo. O governo não preenche todos os cargos vagos e argumenta que não tem recursos para bancar as novas nomeações. Os concursados tiveram a oportunidade de se manifestar durante o debate e criticaram o governo pela demora nas contratações.

Wasny explicou o trabalho que está sendo feito para incluir na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) a previsão de contratação dos concursados. E chamou a atenção também sobre a importância do acompanhamento do debate sobre a criação do Instituto do Hospital de Base, prejudicial aos servidores.

O distrital também apresentou uma planilha com os números de servidores da saúde nos últimos dois anos. De acordo com os dados, existem atualmente 1.342 vagas abertas no quadro de pessoal, isto sem contar a defasagem do número de vagas existentes. A previsão de nomeação para 2018 é de 607 servidores. Nos últimos dois anos, 1.345 servidores se aposentaram.




Antônio Zabon, representante dos orientadores educacionais aprovados, por exemplo, informou que somente 15 profissionais foram contratados, apesar do déficit aproximado de mil cargos vagos. Já o presidente do Sindicato dos Servidores da Assistência Social e Cultural do DF, Clayton de Souza Avelar, defendeu a união dos concursados de todas as áreas para cobrar as nomeações. Segundo ele, a categoria conta atualmente apenas com 1/3 do efetivo necessário. Avelar também sugeriu a revisão da LRF.

Números – Apesar dos números oficiais, praticamente todos os participantes apresentaram números bem maiores de falta de pessoal. João Cardoso, presidente do Sindicato dos Técnicos e Auxiliares de Enfermagem (Sindate), informou que a categoria apresenta um déficit aproximado de três mil profissionais. Ele citou como exemplo a situação de crise na semana passada no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), quando 190 pacientes contavam apenas com dois técnicos de enfermagem para prestar assistência.

O deputado Robério Negreiros (PSDB) lamentou o caos generalizado na gestão da saúde e a insuficiência de profissionais na área de saúde. Segundo ele, o déficit estimado é de 15 mil vagas. O distrital prometeu apresentar emendas à LDO voltada para a nomeação de concursados.

Na carreira socioeducativa a carência estimada é de 600 vagas. A presidente dos Sindicados dos Enfermeiros, Dayse Amarilio, criticou o posicionamento do governo, que sempre argumenta a falta de recursos para negar as nomeações. A sindicalista convocou todos a participarem da greve geral marcada para o próximo dia 30 contra as reformas trabalhista e previdenciária em discussão no Congresso Nacional.

Fonte: cl.df.gov.br

Comentários

CLDF realizou nesta segunda (12) audiência para discutir nomeação de aprovados em concursos públicos
5 (100%) 1 vote
DICAS PARA CONCURSOS
RECOMENDADOS PARA VOCÊ