Técnicas de Estudo: como escolher as melhores para concursos

Você sabe como escolher as técnicas de estudo certas para chegar bem no dia de fazer a prova do concurso?

A preparação de um concursando é a chave principal para a sua aprovação em um certame. E é preciso combinar uma série de recursos nos estudos para que esta preparação seja efetiva. Dentre os mais conhecidos recursos estão a rotina e as técnicas de estudos para concursos por exemplo.

Existem diversas técnicas que podem ser aplicadas, mas não é aconselhável ou recomendável escolher qualquer uma delas. Ou ainda escolher várias ao mesmo tempo e sem nenhuma análise.

Neste artigo, vamos te ensinar como escolher as melhores técnicas de estudo conforme o seu perfil de estudante e necessidades práticas.

Primeiramente, porque é importante escolher corretamente técnicas de estudos para concursos

É importante ter uma coisa muito clara em mente quando alguém busca se preparar para uma prova de concurso. Que é a de que cada concurseiro tem a sua forma de estudar.

Assim, é fundamental entender que cada pessoa precisa encontrar o modelo certo de preparação para si. E isso envolve as técnicas de estudo que serão utilizadas durante toda a preparação para o concurso.

Rotina de estudos que o concursando tem, o tipo de prova que vai fazer e até mesmo como sua mente funciona… As técnicas que serão usadas precisam estar em conformidade com tudo isso.

Do contrário, a efetividade do estudo pode ficar comprometida, e aí as chances de aprovação no concurso também ficam menores.

Por isso é tão importante saber como escolher essas técnicas da forma correta. As dicas a seguir vão te ajudar.

Analise sua rotina e tempo disponível para estudar

A primeira coisa a se fazer antes de selecionar as técnicas de estudo certas é conhecer a sua rotina e tempo disponível para estudar.

Se você pode estudar durante o dia inteiro praticamente, pode usar várias técnicas. Ou seja, se a sua única ocupação diária é a de se preparar para o concurso, pode ter um repertório grande de técnicas.

Mais que isso, você pode praticar técnicas que tomam um tempo considerável para serem feitas. Como é o caso das técnicas de estudo que utiliza a realização de simulados completos no mesmo tempo que será a prova.

Já se você tem pouco tempo para estudar durante o dia, se a sua rotina é bastante ocupada, então algumas técnicas precisam ser deixadas de lado. Ou pelo menos serem praticadas em uma quantidade menor que outras.

Quem tem pouco tempo deve priorizar técnicas rápidas e aquelas que trabalham na gestão de tempo.

Se você não pode estudar por muitas horas ou fazer exercícios longos, técnicas de gestão como a Pomodoro são recomendadas.

Além disso, fichamentos, notas rápidas, mapas mentais e gravar para si resumos de estudos são bem interessantes para quem tem poucas horas para estudar.

Leve seu perfil e personalidade em consideração

Por mais que sejam eficientes e práticas, algumas técnicas de estudo para concursos simplesmente não funcionam em alguns concursandos.

E a razão para isso é bem simples: nem toda técnica de estudo serve para qualquer estudante.

Você precisa utilizar as técnicas que se encaixam bem com o seu tipo de pessoa, e a forma como você gosta de estudar.

Se você é uma pessoa muito regrada e que gosta de ter certeza de estar estudando as matérias de modo uniforme, o Ciclo de Estudos é uma ótima opção.

A técnica consiste em definir um tempo médio para estudar todos os assuntos durante o dia. Por exemplo, você tem 4 matérias do concurso para estudar com apenas 6 horas diárias.

Você divide as horas pelo número de matérias, e estabelece que vai estudar cada assunto por 1 hora e meia.

Agora, se você prefere estudar as matérias que gosta mais, ou as que têm mais peso no concurso, essa técnica pode ser pouco efetiva.

Concursandos devem sempre avaliar a sua personalidade e perfil como estudante ao escolherem técnicas de estudo. Desse modo vão economizar tempo com técnicas que não seriam práticas, além de garantir mais efetividade nos estudos.

Você precisa de “decoreba” para o seu concurso?

É ensinado com frequência que não devemos adotar o hábito de tentar apenas “decorar uma matéria ou assunto” para uma prova, não é mesmo?

Em muitos concursos públicos é preciso ter uma capacidade de interpretação das questões alta. E o participante da prova é levado a pensar sobre o problema apresentado e, com base no seu conhecimento, encontrar a solução para a questão.

Para provas assim, técnicas como os resumos gravados, exercícios simulados e as revisões de conteúdos são muito boas.

Mas nem sempre é assim, e existem muitas provas de concursos que não exigem isso. Ou pelo menos não possuem um grande número de questões interpretativas.

Alguns exames são praticamente feitos com questões onde se pede por um termo, ou por uma resposta simples e direta. Como a informação sobre uma sigla ou a regra exata de uma norma.

Nesses casos, o uso de técnicas de estudo que ajudem na “decoreba” são muito bons.

Em situações assim, o concursando pode se valer de técnicas como os recursos mnemônicos, mapas mentais e fichamentos.

Conclusão

Você acaba de conferir algumas dicas gerais, mas muito práticas, de como escolher corretamente as técnicas de estudo.

Agora, você está pronto para selecionar melhor as ferramentas que vai utilizar para tornar seu estudo mais efetivo. E assim, aumentar bastante as chances de ser aprovado no concurso que está de olho.

E conseguir o cargo público que você quer.

No entanto, é importante que você saiba não apenas como escolher técnicas de estudo para concursos. Mas saiba também como elas funcionam e quais são as melhores.

Recentemente, lançamos um conteúdo onde mostramos 6 das melhores técnicas de estudo para quem quer se preparar para concursos.

Para conferir o post e conhecer essas 6 técnicas basta clicar no link aqui embaixo.


Comentários


CONCURSOS 2020: clique aqui e confira as oportunidades para este ano!
CONCURSOS ABERTOS: veja aqui os editais publicados e garanta a sua vaga!
CONCURSOS DF 2020: principais concursos previstos para o DF em 2020!